Acompanhe as novidades do D'Incao

Curta nossa página no Facebook



26 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 40 novas fotos ao álbum "Introdução ao uso do estereomicroscópio - Análise de rochas".

25 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 16 novas fotos ao álbum "Identificação de gorduras nos alimentos" — com Henrique Pupolin Magalhães e outras 6 pessoas.

25 de maio

Curso de Latim no D'Incao Instituto de Ensino Início: 31/05 Horário: 19h00 / 20h40 CURSO ABERTO PARA PAIS E ALUNOS Inscrições na secretaria

24 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 20 novas fotos ao álbum "Observação microscópica de liquens" — com Bianca Pegorer e Livia Carlotto.

22 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 7 novas fotos ao álbum "Apresentação - Imigração no Brasil".

19 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 13 novas fotos ao álbum "Apresentação de Língua Portuguesa".

18 de maio

Curso de Biologia Experimental com Tecnologia e uso do Campbell #biologia #tecnologianaeducação #campbell

18 de maio

ROBÓTICA E LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO NO D'INCAO!!! #robótica #linguagemdeprogramação #swift #drone

18 de maio

Olimpíada de Astronomia no D'Incao Instituto de Ensino #oba #astronomia

17 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 14 novas fotos ao álbum "Titulação ácido-base".

16 de maio

Apresentação de Língua Portuguesa!

16 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 9 novas fotos ao álbum "Apresentação dos trabalhos de Língua Portuguesa".

15 de maio

RESOLUÇÃO - SIMULADO 6 | 2017 - 3º ANO e CURSINHO - Ensino Médio e D'Incao Vestibulares https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0VzFxcnFaWTBxZDA/view?usp=sharing

15 de maio

RESOLUÇÃO - SIMULADO 6 | 2017 - 2º ANO - Ensino Médio https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0dXMzVEo3T2NlVUE/view?usp=sharing

15 de maio

RESOLUÇÃO - SIMULADO 6 | 2017 - 1º ANO - Ensino Médio https://drive.google.com/open?id=0B4VBwRzVz_N0a1BLQXFZdWtFOU0

12 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 18 novas fotos ao álbum "Análise de protetor solar - Radiação UVB".

11 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 11 novas fotos ao álbum "Movimento Relativo".

10 de maio

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 11 novas fotos ao álbum "Modelos Atômicos" — em D'Incao

02 de maio

Resolução Simulado 5 https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0bVQwVHhBSDA1aXc/view?usp=sharing

28 de abril

REUNIÃO DE PAIS E MESTRES - 1º BIMESTRE - ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO 2017

17 de abril

13 de abril

D'INCAO - ENSINO MÉDIO HORÁRIOS AULAS E PROVAS DE RECUPERAÇÃO - 1º BIMESTRE - 2017

13 de abril

D'INCAO - ENSINO FUNDAMENTAL HORÁRIOS DE AULAS E PROVAS DE RECUPERAÇÃO - 1º BIMESTRE 2017

13 de abril

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 13 novas fotos ao álbum "Lançamento Oblíquo".

11 de abril

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 19 novas fotos ao álbum "Identificação de gorduras nos alimentos".

10 de abril

Resolução Simulado 4 - 2017 https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0VE9sZzhTOHBoN1U/view?usp=sharing

10 de abril

Gabarito de 07.04.2017 --> LÍNGUA PORTUGUESA e GEOGRAFIA https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0b1dud042eVRDSGc/view?usp=sharing

07 de abril

HORÁRIO 2ª CHAMADAS – 1º Bimestre MENSAL E BIMESTRAL 1º, 2º E 3º ANO

07 de abril

PROVAS DE 2ª CHAMADA MENSAL E BIMESTRAL 1º BIMESTRE/2017 6º, 7º, 8º e 9º ano

07 de abril

Projeto de Orientação Profissional Psicóloga: Karla Tonus

06 de abril

Gabarito de 06.04.2017 --> FÍSICA - ENSINO MÉDIO https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0OUQ2MHVuMjFrV1U/view?usp=sharing

05 de abril

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 18 novas fotos ao álbum "Os Rostos do Cubismo".

05 de abril

Gabarito de 05.04.2017 --> QUÍMICA e FILOSOFIA https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0Zm5WSElBRS0xWTA/view?usp=sharing

05 de abril

Gabarito de 04.04.2017 --> BIOLOGIA e HISTÓRIA - ENSINO MÉDIO - 2017 https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0N1JQU3RoNUJEaEE/view?usp=sharing

04 de abril

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 15 novas fotos ao álbum "História da Astronomia".

04 de abril

Gabarito de 03.04.2017 --> MATEMÁTICA e INGLÊS - ENSINO MÉDIO - 2017 https://drive.google.com/file/d/0B4VBwRzVz_N0RmphM2VsdnlMWkU/view?usp=sharing

03 de abril

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 21 novas fotos ao álbum "Colorimetria".

30 de maro

OFICINA DE TEATRO - PAULO NEVES LIMITE DE 15 ALUNOS POR TURMA - Ensino Fundamental - 6º, 7º, 8º e 9º Ano Dia: Segundas Feiras Horário: 14h30 até as 16h30 - Ensino Médio - 1º, 2º e 3º Ano Dia: Terças Feiras Horário: 16h50 até as 18h30 EXCLUSIVO PARA ALUNOS DO D'INCAO. INSCRIÇÕES NA SECRETARIA.

28 de maro

HORÁRIOS DE PROVAS - 1º BIMESTRE 2017 - ENSINO FUNDAMENTAL

28 de maro

HORÁRIOS DE PROVAS - 1º BIMESTRE 2017 - ENSINO MÉDIO

24 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 22 novas fotos ao álbum "Eixo de inclinação da Terra e as estações do ano".

23 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 14 novas fotos ao álbum "Vetores".

17 de maro

MEDICINA - FAI!!! D'INCAO APROVA!!! PARABÉNS DÉBORA ABRANTES VALÉRIO!!! APROVAÇÕES DE PESO!!! #dincaoaprova #dincao2017 #aprovadosdincao #MEDICINA

17 de maro

Eixo de inclinação da Terra

17 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 18 novas fotos ao álbum "Eixo de inclinação da Terra" — em Dincao Instituto de Ensino

13 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 19 novas fotos ao álbum "Estudos de Estequiometria em Hidratos".

10 de maro

Capacitação e treinamento da equipe pedagógica - iTunes U e Mosyle

10 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 2 novas fotos.

08 de maro

Reações químicas envolvendo transferência de elétrons em compostos de Manganês.

08 de maro

D'Incao Instituto de Ensino com Andreia Severino e outras 2 pessoas.

07 de maro

EDUCAÇÃO BILÍNGUE: SUBDESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO, DA CULTURA E DA SOCIABILIZAÇÃO DA CRIANÇA Carlos D'Incao É comum em nosso país, de tempos em tempos, o surgimento de propostas pedagógicas "exóticas" que reivindicam ser a vanguarda educacional oferecendo "diferenciais" positivos para seus alunos. Uma dessas propostas é a educação bilíngue. O apelo central para os pais geralmente recai sobre os benefícios de a criança assimilar uma segunda língua de forma precoce. Com isso, com o máximo de brevidade, se venceria uma etapa de aprendizagem que é futuramente vantajosa, a título de melhor defender seus filhos em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e globalizado. Esse apelo central em regra desemboca em uma educação bilíngue que tenha a língua inglesa como parceira da língua portuguesa. Nesse sentido, outros apelos como, "o aprendizado de uma nova cultura a partir da língua", etc, acabam se tornando fraseologias vazias, dado o fato de que já vivemos em um país fortemente anglófilo, em particular, norte-americanizado. Não faltam aqueles que, inclusive, afirmam - com propriedade - que passamos por um processo de aculturação dado o nível de influência que os EUA exercem junto ao nosso cotidiano (sempre é bom lembrarmos que vivemos em um país onde a cada 100 filmes exibidos na televisão, 92 são norte-americanos, 5 são europeus e apenas 3 são nacionais). Desde já é importante salientar que o aprendizado de uma ou mais línguas estrangeiras não é - em nenhuma hipótese - algo a ser criticado, antes, deve ser estimulado. Porém, como veremos a seguir, há uma enorme diferença entre aprender uma nova língua e adotar uma educação bilíngue. Se de um lado, o aprendizado de uma segunda língua (em momento oportuno do desenvolvimento da criança) pode gerar inúmeros benefícios, a educação bilíngue possui a tendência em proporcionar um subdesenvolvimento do pensamento, da cultura e da sociabilização da criança. 1 - SOBRE O PENSAMENTO Há um consenso, entre os estudiosos da área da educação, de que o processo de alfabetização da criança significa uma verdadeira revolução cognitiva. Para muito além do ato psico-motor fino, a alfabetização é, ao mesmo tempo, uma porta para o saber sistematizado em suas formas mais evoluídas, bem como uma poderosa ferramenta para o desenvolvimento de novas formas de pensamento. Vale lembrar que o ato de alfabetização também está umbilicalmente associado com o desenvolvimento da capacidade da criança em assimilar uma multidão de signos arbitrários que passam a ter efetivo sentido dentro do seu meio social (isto é, para muito além do mundo escolar). Em uma educação bilíngue a criança se vê obrigada a assimilar toda uma carga adicional de signos - igualmente arbitrários - mas que não possuem sustentação substancial no meio social em que ela está inserida. Sabemos que tão logo a criança passa pelo processo de alfabetização, surge (quase que concomitantemente) a necessidade dela aprender o valor semântico das palavras. Trata-se agora de um novo mundo no qual compreender a estruturação de frases, parágrafos, textos diversos, ordenar e relacionar ideias, se faz, efetivamente possível. A criança inicia a partir daqui, em suma, uma longa marcha no caminho de múltiplas formas de pensamento que assumirá, em sua fase mais desenvolvida, um pensamento abstrato, conceitual e crítico. A inserção de uma nova língua, de forma arbitrária e desvinculada com o ambiente social onde a criança vive, impõe a ela uma barreira adicional e desnecessária para o seu próprio desenvolvimento. Em regra, de forma imediata, o resultado é o atraso no processo de alfabetização e, com isso, a privação da criança de todos os seus benefícios. Poder-se-ia aqui contra-argumentar que a criança - em uma escola bilíngue - aprende de fato a falar duas línguas. Mas, trata-se de um resultado no mínimo trivial, dado que o ato de falar uma língua não é algo tão significativo sob o ponto de vista cognitivo. Em uma análise mais aprofundada, percebemos que a educação bilíngue pode provocar fenômenos extremos, tais como crianças que conseguem falar duas línguas, mas não conseguem pensar de forma bem elaborada, em nenhuma língua - principalmente se considerarmos os aspectos qualitativos dos quais a criança é privada, ao se criar obstáculos artificiais no seu processo de desenvolvimento cognitivo. 2 - SOBRE A CULTURA Quando temos um ambiente que dificulta ou atrasa o acesso da criança às formas mais desenvolvidas de pensamento, limita-se também, de forma preocupante, as ferramentas de apropriação do conhecimento historicamente acumulado pela humanidade - uma das primordiais funções da escola. De imediato percebe-se, nessas instituições educacionais, um flagrante processo de esvaziamento do conteúdo. Trata-se de uma consequência quase que óbvia, uma vez que o início da apropriação de novos conteúdos sempre envolve a apropriação de novos conceitos, palavras, terminologias, análises processuais e estudos comparativos. Novamente, o ensino bilíngue acaba por criar um obstáculo adicional e desnecessário para a apropriação mais rápida e eficiente das ferramentas necessárias para o aprendizado desse novo conteúdo. Por essas razões, teremos quase sempre nessas escolas, um conceito raso sobre o que é efetivamente apropriação cultural. Para elas, esse conceito está centrado na interação entre pares e através do conhecimento sobre os hábitos mais triviais do cotidiano. Boa parte do conhecimento científico e toda a riqueza cultural existente em nossa sociedade fica em estado precarizado e os alunos acabam obtendo uma experiência cultural superficial, subdesenvolvida e distorcida da realidade. Para além dessa análise mais técnico-metodológica podemos também lembrar que a introdução de uma educação bilíngue é absolutamente redundante quando inserida em um ambiente social onde já há o uso de uma das línguas mais ricas e plurais da humanidade, isto é, a língua portuguesa. Trata-se de uma língua cosmopolita, com uma estrutura gramatical complexa, um léxico dinâmico, expressões histórico-culturais consagradas pelo gênero humano e, vale notar, uma língua muito mais rica do que as línguas de origem saxônica, em especial o inglês (em um estudo comparativo, a língua inglesa possui cerca de 20 mil palavras, enquanto a língua portuguesa possui mais de 600 mil palavras). O lógico seria, sob a luz desses dados, uma escola bilíngue adotar uma segunda língua neolatina, como o espanhol, o italiano ou o francês. É nesse momento que se percebe, mais uma vez, a opção pela língua inglesa como datada e fortemente associada aos fatores da atualidade e de um suposto pragmatismo futuro no mundo do trabalho. Porém, como já foi salientado anteriormente, o aprendizado da língua inglesa ou de outra língua qualquer, não possui qualquer relação com a adoção de uma educação bilíngue. As melhores escolas do Brasil e do Mundo adotam o estudo e o aprendizado de outras línguas, sem adotar o bilinguismo. Um caso singular são as escolas suíças. Trata-se de um país que oficialmente se fala 4 línguas (francês, alemão, italiano e romanche) e não possui uma educação bilíngue oficial em nenhum de seus cantões. 3 - SOBRE A SOCIABILIZAÇÃO Vimos até então que a educação bilíngue tem como resultante tendencial um subdesenvolvimento no pensamento e na apropriação da cultura da criança. Esse subdesenvolvimento acaba desaguando, quase que necessariamente, em um subdesenvolvimento da sociabilização da criança tanto em seu universo escolar como em seu universo comunitário. Sob o ponto de vista escolar, é preciso salientar que a forma mais desenvolvida de sociabilização de qualquer indivíduo, não reside nas interações pessoais, mas se situa, sobretudo, no ato da apropriação do conhecimento historicamente produzido pela humanidade. Em síntese, podemos afirmar que um cidadão com conhecimento será um indivíduo com uma atuação muito mais rica e emancipadora na sociedade em que ele está inserido. Ao colocar de forma arbitrária para a criança uma educação bilíngue, se estabelece um caminho mais longo, árduo e restritivo para a obtenção de resultados no mínimo iguais e, em regra, inferiores àqueles alcançados pelo ensino regular. Por fim, sob a óptica do universo cultural, a produção de um ambiente bilíngue tem a tendência em gerar um afastamento da criança do meio comunitário em que ela deveria estar inserida. As escolas bilíngues geralmente salientam que preparam seus alunos para se tornarem "cidadãos do mundo", pois estão inseridas em uma segunda língua, ou seja, uma segunda cultura. Vejamos. Em primeiro lugar, antes de ser um "cidadão do mundo" almeja-se que o aluno se torne um cidadão brasileiro, que valorize sua cultura e desenvolva um forte e exigente espírito cívico. Não podemos nunca nos esquecer que somos nós mesmos os principais mantenedores de nossa cultura e de nossa sociedade. Assim sendo, a escola possui um papel central para implementar uma relação afetiva do aluno com sua comunidade, com a sua cidade e com seu país. Cidadãos que respeitam e valorizam a sua nação, a sua cultura e a sua História estão muito melhor capacitados a fazer parte de um mundo cosmopolita, sem perderem sua identidade e sem serem aculturados. Temos em nosso país uma triste tradição de negar nossa brasilidade. Possivelmente trata-se de uma tradição que remonta a uma mentalidade colonial e atrasada. A desvalorização de nosso país, nossa História, nossas tradições, nossa língua, em suma, a desvalorização de tudo o que objetivamente somos, nunca nos ajudou a construir um país melhor, ao contrário. Inserida dentro desse contexto uma educação bilíngue longe de agregar valores acaba muitas vezes conduzindo os alunos à reprodução dessa mentalidade arcaica. No afã de querer proporcionar uma língua do "primeiro mundo" a seus filhos, os pais acabam muitas vezes caindo na velha armadilha de proporcionar uma educação da qual resulta uma postura terceiro-mundista e colonizada. Todos nós queremos para nossos filhos uma educação que garanta as formas mais desenvolvidas de pensamento, que possibilite o acesso ao conhecimento em suas expressões mais sofisticadas e que agregue valores sociais e cívicos de forma profunda. Esse é o dever de qualquer escola. E essas metas são alcançadas - em todos os países - através do ensino regular. Fosse a educação bilíngue a forma mais adequada para se atingir esses objetivos, seria hegemônica ao menos nos países com os melhores índices educacionais. Na realidade e não por acaso, essa forma de educação não é nem mesmo adotada em países bilíngues ou multi-linguísticos. A razão disso é simples e remonta ao ponto de partida desse artigo: os países mais desenvolvidos sabem que a educação bilíngue tem a tendência em gerar o subdesenvolvimento do pensamento, da cultura e da sociabilização da criança. Esses países garantem a melhor educação regular capaz de habilitar seus alunos a terem acesso ao que há de melhor em seus países e no Mundo, incluindo também o aprendizado de outras línguas.

07 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 23 novas fotos ao álbum "Colisões usando pêndulo de Newton".

06 de maro

D'Incao Instituto de Ensino adicionou 26 novas fotos ao álbum "Microscopia - Diversidade celular" — com Mel Medici e outras 7 pessoas.

03 de maro

Uso do iPad na análise de dados experimentais

A Escola

Um Instituto de Ensino Completo


Proposta Pedagógica

Nossa proposta pedagógica tem como objetivo a promoção do desenvolvimento integral do aluno, propiciando a compreensão dos processos naturais e da realidade histórica e social por meio da aquisição dos conhecimentos artísticos, científicos e filosóficos mais desenvolvidos produzidos pela humanidade. No ensino fundamental, esse objetivo vincula-se ao domínio dos processos de leitura e escrita, das operações matemáticas, do fazer artístico e das práticas esportivas. Dessa forma, o D’Incao Fundamental oferecerá ao aluno uma base sólida para a aquisição de conhecimentos e habilidades, bem como para a formação de atitudes e valores coerentes com os princípios da autonomia individual e com o respeito ao ser humano. Ler mais...

A Escola

Existem atualmente duas tendências pedagógicas às quais o D’Incao se opõe de forma veemente: a primeira utiliza sistemas apostilados, enquanto a segunda não usa qualquer material didático de forma efetiva e sistemática. Temos a plena convicção de que essas tendências privam os alunos da riqueza do conhecimento inserida nos livros didáticos de qualidade, que formaram de maneira exemplar inúmeras gerações passadas e que ainda são fundamentais na formação das novas gerações. Queremos que nossos alunos sejam autônomos, criativos, críticos e independentes e, para tanto, uma escola deve possuir solidez pedagógica. Por adotarmos uma avançada teoria educacional, conhecemos as necessidades de seu filho e sabemos como direcioná-lo no mundo do conhecimento. Ler mais...

Tecnologia

O D’Incao é referência na utilização de ferramentas tecnológicas aplicadas à Educação. Nosso Ensino Fundamental não será diferente. Com o foco no conteúdo escolar, as ferramentas e aplicativos disponíveis para o iPad enriquecerão ainda mais nossas estratégias de ensino. O iPad não irá substituir o livro nem o caderno, ele ocupará um lugar em que a tecnologia é de fato um diferencial para alcançarmos uma verdadeira educação humanística. Exemplos disso serão as utilizações dos iPads nos Laboratórios, nos trabalhos em Artes, nos projetos multimídia, na organização dos trabalhos escolares e nas ferramentas colaborativas integradas aos nossos servidores Apple Mac OS X. Com uma plataforma de trabalho revolucionária, seu filho terá acesso ao que há de mais avançado em tecnologia e educação.
Apple
A Apple possui mais de 30 anos de experiência na área educacional e desenvolve tecnologias que vêm ao encontro das mais novas tendências educacionais. A eficiência no monitoramento, a facilidade operacional, a flexibilidade, as inúmeras ferramentas multimídia e os poderosos aplicativos educacionais tornam clara a opção pelo iPad.
Ler mais...

Estrutura

Laboratórios de Ciências Multidisciplinas
O aprendizado de ciências em nosso Ensino Fundamental estará focado na formação de conceitos que tem como um dos pontos de partida a vivência experimental. Por meio de uma abordagem inovadora que inclui as mais novas tecnologias, iremos possibilitar que seu filho realmente vivencie a ciência. Com uma característica multidisciplinar, nosso trabalho experimental irá incorporar a Física, a Química, a Biologia, a Matemática e seus aspectos sócio-históricos. Assim, seu filho terá um conhecimento global e sólido sobre as ciências. Nossos Laboratórios são equipados com os mais avançados equipamentos experimentais que incluem a parte de Microscopia da Zeiss, equipamentos de Físico-química da Phywe e, incorporados a tudo, os mais modernos sensores da Vernier que estão integrados aos iPads e aos aplicativos científicos da Apple. Para o estudo prático do Clima, do Meio Ambiente e da Ecologia, o D’Incao Fundamental será a primeira escola do Brasil de Ensino Básico a ter sua própria estação meteorológica.
Laboratórios Multimídia
Queremos que nossos alunos tenham pleno domínio das tecnologias contemporâneas. Com isso, poderão ampliar seus horizontes, obter maior conhecimento, além de se apropriar de forma criativa e crítica de uma linguagem que faz parte do seu tempo.
Ler mais...

Multimídia

Um instituto de ensino completo

Redes Sociais / Aplicativos

Um instituto de ensino completo

Fotos

Um instituto de ensino completo

Contato

Um instituto de ensino completo

D'Incao Instituto de Ensino / D'Incao Fundamental, Bauru / Brasil.

Rua Doutor Fuas de Mattos Sabino, 15-65, Jd América, Bauru/SP

14 3366-4050

www.dincao.com.br

facebook.com/dincaobrasil